Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Insensatez de Menta e Chocolate

Insensatez de Menta e Chocolate

Escuro como breu

Queria dizer algo inteletual sobre a estratégia de marketing à volta do pão escuro, palavra que não tem muito de sinónimo com integral. 

 

Deixar também umas bonitas palavras sobre a injustiça que estão a fazer com um dos alimentos mais importantes e presentes na alimentação portuguesa (e não só) desde o tempo em que não se falava em obesidade. 

 

Mas ficam só ideias a pairar por aqui, que este espaço não pretende ser científico nem histórico, nem nada muito concreto. 

 

E mesmo que não entendam nem concordem com nada do que eu nem disse ...

 

Fica este assobio que diz que "a padaria abre às cinco".

 

Alergias oculares

Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas:

 

Se nada mudar, invente. 
E quando mudar, entenda.
Se ficar difícil, enfrente. 
E quando ficar fácil, agradeça.
Se a tristeza rondar, alegre-se. 
E quando ficar alegre, contagie.
Se o caminho for longo, persista. 
E quando chegar, comemore.
Se achar que acabou, recomece. 
E quando recomeçar, acredite.

 

Pode até ser um medicamento genérico, mas nunca tive razão de queixa.

Anita vai ao teatro

O que é o que o teatro tem?

 

Gosto muito de ambas as artes, mas há algo no teatro que é impossível no cinema. 

 

Para além de existir a própria relação emocional entre as pessoas em palco e as pessoas do público.

 

Há numa peça uma necessidade de abstração que o cinema não tem e que torna o teatro muito mais estimulante para a nossa imaginação.

 

Por exemplo num filme sobre pilotagem nenhum apaixonado da área o considerará um bom filme se tiver alguma incongruência técnica.

 

Enquanto que no teatro tudo é possível.

 

E tudo o medo levou

Não me lembro quando, porquê, nem quem me ensinou o meu primeiro medo, mas foi por certo muito cedo e com a melhor das intenções.

 

Acredito que é importante ter alguns receios: pela nossa segurança, para não nos magoarmos sobretudo quando ainda não conseguimos entender o que nos pode magoar.  

 

Excluindo tais proteções, o medo é de um modo negativo o maior inimigo da nossa vontade, não sei ao certo quem disse isto pela primeira vez mas dir-lhe-ia que tinha e tem toda a razão. 

 

 

Reclamações e postas de pescada

Reclamar está na moda.

 

Se eu sou contra? Não, de todo.

 

Mas o que me leva a falar sobre isto é o quão ridícula se torna esta questão quando o único critério é "isto não é como eu queria que fosse e vou exigir que seja à primeira pessoa que me aparecer."

 

Mesmo que isso signifique, atrasar umas 20 pessoas que ficam na fila à espera que a pessoa que não tem nada a ver com isso se responsabilize pelo sucedido.

 

Entendo que haja casos gritantes de ofensa aos direitos dos consumidores, publicidade enganosa e todo um conjunto de estratégias de marketing que pretendam chamar-nos de otários.

 

No entanto, hoje mais do que nunca há formas de o divulgar: faça uma reclamação à própria entidade responsável, escreva sobre isso, faça um vídeo, uma petição, divulgue nas redes sociais, o melhor que lhe ocorrer.

 

Sugiro também, assim uma solução mirabolante, que é: se não lhe agradou não compre mais e mude para outra marca. 

 

Mas não chateie quem não tem nada a ver com isso, para além de não resolver nada só faz com que muitas pessoas possam ter muito a reclamar consigo.

 

Pág. 1/5

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D